19 de dez de 2016

Trilha sonora de Armamentista

Já comentei antes que costumo criar playlists para me ajudar a pegar o clima certo na hora de escrever. Como fiz com Arcanista, hoje vim compartilhar com vocês a seleção que eu ouvia enquanto escrevia Armamentista.
A lista é menor que a anterior porque reaproveitei algumas músicas da lista anterior, especialmente as trilhas de Matrix. Na lista abaixo, os clipe com letra estão legendados.

1. Moby - Extreme Ways
Os fãs de Jason Bourne conhecem bem essa música, nem sei dizer quantas vezes ouvi durante a escrita. Tanto o ritmo quanto a letra tornam essa trilha perfeita para ser o tema de Armamentista.


2. Lorde - Everybody Wants to Rule the World
Amo essa música! Simplesmente amo! Como eu disse antes, esse é o tema para a trilogia como um todo.


3. Pitty - Na Sua Estante
Para quem é fã (e para quem não é tão fã assim) da Beatrix, aqui uma trilha sobre a relação dela com o Marcel.


4. Linkin Park - What I've Done
Não tenho uma cena nem personagem específico para essa música, mas ela me ajudava a pegar o tom quando a coisa ficava mais densa.


5. The Bourne Supremacy - Road Rage
Mais um tema dos filmes Jason Bourne. Coloquei o título do filme porque não consegue descobrir o nome do artista. Essa é a trilha da sequência envolvendo os três ônibus.


6. Final Fantasy VII - Those Who Fight
O universo Final Fantasy exerce uma enorme influência no meu trabalho. O tema dos chefões de FF7, executado nessa versão espetacular, seria a trilha da sequência do estacionamento.

6 de dez de 2016

[Top 5] Mais Cinco Casais Homossexuais

A diversidade sexual vem ganhando mais destaque na ficção e na cultura pop. Cada vez mais, vemos um número maior de autores buscando retratar personagens homossexuais sem estereótipos. Ainda é pouco, é verdade, mas o cenário vem mudando.

Eu já tinha feito um Top 5 com casais homossexuais antes, e hoje trago uma segunda rodada.

5 - Clarke & Lexa (The 100)


Num futuro pós-apocalíptico, Clarke é a líder de um grupo de sobreviventes de uma estação espacial, enquanto Lexa é a comandante de uma tribo guerreira. Ambas têm personalidades fortes e colocam os interesses de seus respectivos povos em primeiro lugar, mesmo se precisarem jogar sujo. Essa atitude as levou a serem bem próximas, mas também as coloca em atrito com frequência. O resultado é uma relação de amor e ódio.

4 - Madame Vastra & Jenny (Doctor Who)


Vastra é uma silurian que tentou dominar a Terra no século 21. Colocada em animação suspensa, ela desperta num futuro distante e encontra sua espécie vivendo em paz com a raça humana. Eventualmente, conhece a espadachim Jenny Flint, com quem se casa, deixando os planos de dominação para trás. Com uma ajudinha do Doutor, elas viajam de volta à Era Vitoria, se estabelecendo como uma dupla de detetives especializadas em casos fora do normal.

3 - Lito & Hernando (Sense8)


Lito Rodriguez é um ator mexicano no auge da carreira. Visto pela mídia e pelas fãs como um sex symbol, ele teme que seus dias de galã cheguem ao fim caso seu relacionamento com o erudito Hernando venha a público. Apesar de Hernando concordar em manter o segredo, vez ou outra isso se torna um ponto de fricção entre os dois, especialmente depois que essa situação traz consequências muito ruins para a atriz Daniela, namorada de fachada de Lito e confidente do casal.

2 - Nomi & Amanita (Sense8)


Blogger, ativista LGBT e hacker badass, Michael Marks sempre teve uma alma feminina. Adulto, passa por uma cirurgia de mudança de sexo e se torna Nomi. Desprezada pela mãe, ela é internada à força para ser submetida a um tratamento radical. Felizmente, sua namorada intempestiva Amanita não mede esforços e nem consequências para liberta-la. Logo, Nomi descobre que o hospital onde esteve internada é ligado a uma perigosa corporação e a partir daí, usa seus talentos para confrontá-los.

1 - Craig & Tweek (South Park)


Esse é um caso curioso. No 6º episódio da 19ª temporada, Craig e Tweek descobrem uma exposição de arte yaoi que os retrata como gays. Tentando desfazer o mal-entendido, os dois acabam se aproximando. Ao fim do episódio, não fica claro se vão seguir ou não com a relação, porém, são vistos passando muito tempo sozinhos e nos episódios seguintes aparecem de mãos dadas. Os fãs de South Park compraram a ideia e mesmo os criadores da série já compartilharam a hashtag #CreekIsReal

28 de nov de 2016

[Tem na Netflix] Cloud Atlas - A Viagem


Eu costumo falar de séries nessa seção, mas dessa vez trago um filme que considero uma obra-prima subvalorizada: Cloud Atlas, que chegou aos nossos cinemas como A Viagem.

O longa é uma adaptação do livro de David Mitchell, lançado no Brasil esse ano com o título Atlas de Nuvens. O filme tem a assinatura das irmãs Wachowski e um elenco de primeira grandeza: Tom Hanks, Susan Sarandon, Hale Berry, Hugo Weaving e Hugh Grant, entres outros.

A história interliga seis tramas diferentes em épocas distintas: de uma fazenda escravagista no século 19 à saga de um homem santo num futuro pós-tecnológico, passando por um compositor, uma repórter e um editor nos anos 1930 e 1970 e no ano 2012, sem esquecer da jornada de uma clone no século 22.

E todas essas tramas são protagonizadas por reencarnações das mesmas pessoas. Aqui, é preciso ressaltar o trabalho primoroso para dar uma nova aparência para o elenco a cada nova trama, às vezes até mudando a etnia e o sexo de algum ator ou atriz. A direção é inspirada e consegue dar o tom certo para cada trama, principalmente se levarmos em conta que cada linha narrativa segue um gênero diferente: drama de época, romance, espionagem, ação, etc.

É uma pena que não tenha conseguido alcançar o retorno esperado. Pessoalmente, considero uma obra belíssima e emocionante! Vale a pena conferir.





21 de nov de 2016

[Resenha] Deuses e Feras, de Fabio Brust

Num futuro distópico, um dispositivo é implantado no braço de cada pessoa no momento de seu nascimento. Quando mais velhos, esse dispositivo funciona como um celular: envia mensagens, faz ligações, tem acesso a vídeos e jogos, etc.

Essa tecnologia também mantem a população conectada em tempo integral à Teia, o governo que controla, literalmente, todos os passos dos habitantes de Dínamo. Através das telas implantadas nos braços, a Teia decide quem devem ser os amigos, inimigos e pares românticos de cada pessoa, além de determinar que atividades uma pessoa vai exercer.

É nesse cenário que se passa Deuses e Feras, título independente do autor Fabio Brust.

A trama acompanha a trajetória do jovem Harlan Montag, designado pela Teia para ser um ladrão. Sua vida vira de cabeça para baixo quando um de seu alvos é assassinado antes da hora pela intempestiva Kali Assange, o único par romântico listado no dispositivo de Harlan.

O ato desperta a ira da Teia, manifestada na forma de uma punição contra ambos. A partir daí, Harlan e Kali entram numa espiral frenética para desafiar uma organização que acompanha todos os seus movimentos. Cada nova tentativa de se libertarem parece apenas piorar a situação.

Deuses e Feras foi uma leitura que me surpreendeu. O ritmo de Fabio Brust é dinâmico e cheio de energia, te prendendo no livro. Mesmo tendo um tamanho considerável, foi uma leitura que terminei bem depressa.

Fica bem clara a intenção do autor em fazer uma critica à sociedade atual, cada vez mais conectada e com menos interações diretas entre as pessoas.

Um ponto que me chamou a atenção foi a abordagem e a construção da dinâmica entre Harlan e Kali. Ao invés de pintar o casal como heróis, o autor os mostra como anti-heróis que, apesar de estarem lutando contra um governo totalitarista, tomam várias atitudes questionáveis pelo caminho.

Deuses e Feras está disponível na Amazon e no Wattpad. Recomendado!

Autor: Fabio Brust
Páginas: 549
Ano: 2015
Editora: Independente

31 de out de 2016

[Conto] Amor Ardente

“Os olhos de Bernardo queimaram”.

Esta era a linha que mais perturbava o bispo Damião. Vira Bernardo crescer, acompanhou seus estudos rumo ao ministério de perto e amava-o como um pai amava um filho. Leu a carta novamente, as palavras apertaram seu coração. “Ele ficou cego”.

Mesmo detestando viajar, o bispo de rosto marcado dispôs-se a quase um dia inteiro sacolejando numa carroça aberta, alcançando seu destino no final da tarde. Santana limitava-se a uma ou duas ruas de casas escassas e um mínimo de comércio. Muitos habitantes da vila viviam, na realidade, em fazendas próximas.

A carroça parou diante da diminuta igreja, onde uma beata idosa varria a entrada. A senhora apressou-se em beijar a mão do bispo e pedir uma benção. Foi ainda mais rápida em despejar uma enxurrada de boatos a respeito de Bernardo e daquela mulher, acusando-os de terem recebido uma punição divina.

Sem perder tempo, Damião bateu na porta do quarto simples no interior da igreja, deparando-se com Bernardo acamado. À exceção da faixa sobre os olhos e do aspecto abatido, seu corpo não mostrava sinais de mácula.

Como o fogo teria queimado apenas os olhos?

— Não precisava ter feito essa viagem, senhor — disse Bernardo.

— Como sabe que sou eu?

— Ouvi sua voz. Perder a visão aguçou meus outros sentidos.

— Me dói vê-lo nessas condições. Quando tiver disposição, quero saber a verdade sobre o que aconteceu. Não imagina as histórias absurdas que ouvi.

— A melhor hora é agora, porque suspeito que ela virá por mim hoje à noite. Mas saiba que a verdade vai soar mais absurda que os boatos e é por essa razão que peço que escute sem interromper…

10 de out de 2016

[Tem na Netflix] Voltron - O Defensor Lendário

Remake de um anime de 1985, Voltron - O Defensor Lendário é uma produção original Netflix em parceria com a Dreamworks. A série é uma mescla dos gêneros space opera e super sentai.

Na iminência de uma invasão alienígena do Império Gaura, liderado pelo impiedoso Zarkon, um grupo de jovens cadetes descobre um leão-robô escondido na Terra. Logo, encontram a bela princesa Allura, dos Alteans, que revela a existência de outros quatro leões, capazes de se fundir na forma de Voltron, a arma mais poderosa já criada.

Apesar de um ou outro momento sombrio, a série é voltada para um público mais jovem. No primeiro momento, o show segue um plot clássico e apresenta personagens arquetípicos, mas à medida que avança, os heróis começam a mostrar novas facetas. O próprio universo vai se tornando mais interessante, com planetas vivos e uma curiosa combinação de magia e tecnologia.

Os roteiros se dividem em arcos de dois ou três episódios, permitindo tramas bem elaboradas, além de tornar cada batalha do próprio Voltron mais memorável. A animação mistura o estilo tradicional com CGI e as sequências de ação são muito bem feitas. E ao longo dos episódios, há um bom equilíbrio entre seriedade e humor.

3 de out de 2016

Armamentista - lançamento


Chegou o segundo volume da Trilogia Vera Cruz, dando continuidade à saga de Marcel Seeder, que começou em Arcanista. O livro já está disponível na Amazon e no Clube de Autores em formato digital e impresso.

Abaixo tem a sinopse e os links para adquirir e também para adicionar na sua estante virtual. Desejo a todos uma boa leitura e não deixem de comentar!

Sinopse:
A conspiração era só o começo. Com a sombra da guerra civil pairando sobre Vera Cruz, Arcanum, Guarda Nacional e Voz Verde mostram suas armas.

Meses após o Assalto ao Trem Regencial, Marcel se vê longe de Camilla enquanto busca compreender qual é seu papel no confronto que se aproxima. Ao perceber que já não pode confiar no diretor Cecil, ele decide voltar-se contra a Arcanum, mergulhando num cenário cheio de segredos, onde é difícil saber quem é amigo e quem é inimigo. Encurralado por todos os lados, Marcel irá se lançar numa corrida contra o tempo para proteger aqueles que ama.

Segundo Volume da Trilogia Vera Cruz, Armamentista traz de volta o mix de narrativa cinematográfica, aventura, conspiração e romance, numa trama que fala sobre família, confiança e amor.




19 de set de 2016

Arcanista no Pacotão Literário #3 [encerrado]


Chegou ao fim o Pacotão Literário #3: Fantasia vs. Distopia. Foram duas semanas bem intensas e divertidas. Agradeço a todos que ajudaram a divulgar e que apoiam o projeto de alguma forma.

Para quem adquiriu, desejo uma boa leitura!

Essa edição acabou, mas o projeto continua. Logo, logo, tem outro Pacotão no ar. Acompanhem as novidades pelo site e nas redes sociais.

12 de set de 2016

[Resenha] O Velho Mundo: Abrem-se Os Portões de Erebo, de Kátia Regina Souza

O Velho Mundo: Abrem-se Os Portões de Erebo é o primeiro volume de uma nova série de Kátia Regina Souza. Trata-se de um livro voltado para o público infanto-juvenil pré-adolescente.

O livro narra as aventuras de nove crianças, nove primos da família Cantrell, que começam a sonhar com outro mundo e com o perigo que paira sobre este. Eventualmente, os Cantrell descobrem que os sonhos são um chamado e que, de alguma forma, estão destinados a salvar aquele mundo. Assim, sob a liderança da decidida Ágata, atravessam uma passagem para uma terra de magia e animais falantes (e muros e montanhas falantes também).

A capa e a sinopse de O Velho Mundo me trouxeram um ar de fábula, e foi com esse espirito que encarei o livro. De fato, nessa terra nos deparamos com uma atmosfera digna de contos de fadas. Há um sem fim de lugares fantásticos, e muitos deles seguem sua própria lógica. Mas nem tudo são flores. Existem momentos sombrios e traições, assim como perigos bem reais.

Também cabe destacar que muitas passagens abrem espaço para reflexões e filosofias que dialogam melhor com um público mais velho.

Porém, também tenho algumas ressalvas sobre o livro. O começo é um pouco amarrado e difícil, todos os nove primos são descritos detalhadamente antes mesmo de entrarem em cena. O que me leva a outro ponto. A maneira como todos os Cantrell passam a maior parte do tempo juntos acaba ressaltando a coletividade e reduz suas características individuais. E durante os diálogos, nem sempre fica claro quem está falando.

Ainda assim, O Velho Mundo é uma grande aventura, cheia de lugares interessantes para se conhecer, com um final intenso e muito forte.

Autora: Kátia Regina Souza
Páginas: 251
Editora: Giostri
Ano: 2016

9 de set de 2016

[Audioconto] "Homo Ciberneticus", no Desleituras


Mais um conto de minha autoria é destaque num episódio do Desleituras, podcast de audiocontos do grande Pensador Louco. Desta vez, o conto foi Homo Ciberneticus, uma obra de ficção especulativa. Como sempre, a narração e a edição do Pensador estão sensacionais!


Você também pode ouvir os outros episódios com contos meus clicando nos links: Eva & Morte, A Marca do Escorpião

5 de set de 2016

[Tem na Netflix] The 100

A dica de hoje é de uma das minhas séries favoritas na atualidade. Produção do canal norte-americano CW, The 100 adapta para a TV a série de livros de Kass Morgan.

A trama começa quase um século após uma guerra nuclear devastar o mundo, o que restou na humanidade vive na estação espacial Arca. Com os sistemas da estação começando a falhar, cem jovens delinquentes são enviados para a Terra com o objetivo de descobrir se o planeta já tem condições de ser repovoado. Ao chegar à superfície, os cem encontram um ambiente hostil e logo descobrem que o mundo não está tão desabitado quanto se pensava.

Misturando ação e drama de sobrevivência com uma narrativa young adult, The 100 se caracteriza pelo seu ritmo acelerado. O tom de urgência é constante e os protagonistas se veem com frequência diante de escolhas impossíveis, e é muito bom ver que o show não tem medo de mostrar seus heróis tomando decisões questionáveis.

No começo, a série teve dificuldade para encontrar seu público por consequência de um marketing ruim. A maioria dos trailers liberados antes da estreia não faziam justiça, eu mesmo preferi usar um vídeo fanmade nessa postagem.

Nos EUA, The 100 já conta com três temporadas. Aqui no Brasil, é exibida nos canais MTV e Warner, além da Netflix. Recomendo demais!

22 de ago de 2016

Top 5 - Pais da ficção

OK, eu sei. O Dia dos Pais já passou, mas isso não quer dizer que não podemos homenagear os papais da ficção. Assim como nos meu Top 5 das Mães, vamos falar do pessoal que vai para a linha de frente. As comédias e cartoons são cheias de pais que mereciam uma menção, mas vou focar nos gêneros mais abordados aqui no blog.

1 de ago de 2016

Livros do Kindle no smartphone e tablet


Essa postagem vai soar como propaganda, mas é uma dica que considero muito interessante. E que também vai me ajudar, já que eu trabalho muito com o formato e-book.

Quando se fala em livros eletrônicos, é bem comum pensar no Kindle ou algum outro e-reader. O que muita gente não sabe é que não é preciso ter um dispositivo destes para acessar a biblioteca digital da Amazon.

Há um aplicativo para celulares e tablets que pode ser baixado gratuitamente no site da Amazon. E como se trata de um app oficial, é totalmente compatível com o acervo do Kindle (incluindo os meus livros).

O aplicativo pode ser baixado clicando aqui, ou na imagem.

28 de jul de 2016

Nova capa de Arcanista

Arcanista, o primeiro volume da Trilogia Vera Cruz ganhou uma nova edição com uma nova capa. A arte é de Renato Moraes.

Sinopse:
Marcel Seeder é um tímido rapaz de 16 anos que vive em Vera Cruz, uma nação dividida pelo jogo de poder entre o governo, o exército independente chamado Arcanum e a sombra do grupo ecoterrorista Voz Verde.

Marcel se preparou desde a infância para uma carreira militar como arcanista, seguindo os passos de seu pai. Entretanto, a visita oficial do Regente-Geral e de sua família à Arcanum irá deflagrar um terrível incidente. Para enfrentar a conspiração que busca assassinar Camilla Noble, a filha mais velha do Regente, Marcel precisará superar suas limitações e dominar a gema incrustada em sua mão.

Com uma narrativa cinematográfica, Arcanista é mais que uma história de superação e sobrevivência. É a história de pessoas que tentam encontrar seu lugar em uma sociedade com um complexo cenário político e um colossal abismo social que separa a elite e a classe menos favorecida.




25 de jul de 2016

[Resenha] Boneca de Ossos, de Holly Black

Esse é um daqueles livros que, mesmo voltado para um público infanto-juvenil, pode ser lido e apreciado por pessoas de todas as idades.

Boneca de Ossos conta a história de Zach e suas duas amigas, Alice e Poppy. Todos têm 12 anos e passam por um momento de transição. O trio adora inventar aventuras com seus brinquedos, ainda que muitos os vejam como grandinhos demais para brincar com bonecas, inclusive o pai de Zach, que toma uma atitude drástica para fazer o filho amadurecer. Mas antes disso acontecer, Alice e Poppy convencem o garoto a participar de uma última aventura, só que dessa vez a coisa é séria e envolve uma antiga boneca de porcelana e sonhos com uma menina morta há mais de um século.

Como já deu para notar, Boneca de Ossos fala sobre um tema universal: o amadurecimento. Nesse caso, o fim da infância e o começo da adolescência e Zach, Alice e Poppy lidam com essa transição de maneiras distintas. Assim que partem nessa última aventura, não demora para os três perceberem que a vida real é muito diferente das brincadeiras e das histórias que leem nos livros.

E é claro, temos a boneca, chamada de Rainha. É através da boneca que a autora flerta com o sobrenatural, deixando no ar a dúvida sobre o fantasma ser real ou não. A Rainha dá um tom mais sombrio ao livro e a verdade por trás de sua origem não é nada bonita.

Para completar, o livro (mesmo na versão e-book), apresenta ilustrações que dão um ar de fábula, mas ao mesmo tempo, criam uma atmosfera melancólica. Boneca de Ossos é uma leitura divertida e cativante, com um belo equilíbrio entre aventura e suspense. Recomendado.

Autora: Holly Black
Páginas: 224
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014

18 de jul de 2016

[Resenha Especial] Novas HQs Hanna-Barbera

O que dizer sobre a Hanna-Barbera? O que dizer sobre tantos personagens icônicos? Scooby-Doo, Os Flintstones, Os Jetsons, Jonny Quest, Space Ghost, Herculóides e a lista continua... Hoje, o estúdio é parte do grupo Warner, assim como a DC Comics. Ano passado a editora anunciou um projeto, uma reformulação do universo Hanna-Barbera na forma de quatro novas revistas.

Aqui entre nós, me considero um grande fã da Hanna-Barbera. Conheço os personagens e ainda assisto os desenhos ocasionalmente. Quando fiquei sabendo dos novos títulos, olhei para essa ideia com curiosidade e passei a esperar cada HQ com diferentes níveis de expectativa.

Agora que todos os títulos já foram lançados, trago as minhas impressões sobre a primeira edição de cada um. Não espere comentários do tipo "por que colocaram tatuagens no Salsicha?" ou "estão matando os personagens" ou ainda "mimimi, mimimi, mimimi". Tem muito disso internet afora. Meu foco vai ser nas HQs em si, listadas abaixo em ordem de lançamento.

11 de jul de 2016

Conheça o Pacotão Literário


Hoje trago uma dica de um projeto simplesmente sensacional. Idealizado pelo autor independente Thiago Lee, o Pacotão Literário tem a proposta de disponibilizar e-books nacionais a preços muito mais acessíveis.

A ideia é oferecer pacotes temáticos. O primeiro já está no ar, trazendo obras do gênero fantasia. Por R$ 1,00 os leitores adquirem um pacote com quatro e-books. Por R$ 10,00 o pacote vem com seis títulos. Por R$ 42,00 os leitores recebem um conteúdo extra personalizado.

Eu adquiri esse pacote e funciona da seguinte maneira:

As compras são feitas através do Pag Seguro, o pagamento pode ser feito por cartão ou boleto. Até 24 hrs após a confirmação do pagamento, o leitor recebe os e-books por e-mail, disponíveis nos formatos pdf, mobi e epub.

Achei tudo muito simples e prático. E os autores que se interessaram em colocar suas obras num pacote, basta entrar em contato com a organização para saber como fazer isso.

Acessem o site clicando aqui ou na imagem. Agora, se me dão licença, vou colocar a leitura em dia :D

4 de jul de 2016

Top 5 - Super-heroínas que merecem filmes

Eu já tinha feito um Top 5 como esse há alguns anos. De lá para cá, a DC começou a trabalhar num filme da Mulher-Maravilha que vem rodeado de expectativa, enquanto a Marvel tem uma produção da Capitã Marvel agendada (pouco, se compararmos com a quantidade de super-filmes com caras bombados como protagonistas)

Achei que era um bom momento para dar um reboot e recriar uma lista com outras 5 super-heroínas (além das citadas acima) que merecem um filme-solo. Importante: por mais que me doa cortas nomes como Batgirl, She-Hulk e X-23, nenhuma versão feminina de um personagem masculino entrou nesse Top 5. Todas que estão aqui são heroínas por si só.

As imagens são do Comic Vine

27 de jun de 2016

[Resenha] Assassin's Creed: Irmandade, de Oliver Bowden

Sequência direta de Renascença, Irmandade continua a saga de Ezio Auditore contra a família Bórgia. Dessa vez o cenário é a Roma renascentista, permeada por intrigas politicas.

Ezio descobriu o segredo da origem da Ordem dos Assassinos e dos Antigos. Convencido da importância de proteger o Pedaço do Éden, ele começa a convocar seus aliados e fortalecer a Irmandade em Roma para enfrentar um novo inimigo. Com o enfraquecimento de Rodrigo Bórgia, seus filhos Cesare e Lucrécia assumem o comando dos Templários, com um ódio renovado contra os Assassinos.

Embora todos os livros de Assassin's Creed estejam assinados por Oliver Bowden, tenho sérias suspeitas de que cada volume é escrito por um autor diferente, debaixo do mesmo pseudônimo. É notável como os três primeiros livros possuem estilos distintos. Em comparação com A Cruzada Secreta e Renascença, Irmandade possui uma narrativa mais seca e voltada para a ação. De fato, achei que há um número excessivo de combates e algumas sequências soam mais como um desvio na trama. Também é um livro mais pesado, com descrições gráficas das lutas e mortes.

O maior aspecto negativo de Irmandade é a ambientação. Coliseu, Vaticano, ruínas antigas... Sobram lugares interessantes em Roma e, por mais que a trama passe por alguns desses locais, a narrativa se limita a descrições rasteiras que não conseguem transmitir o peso e força dos sítios históricos.

Por outro lado, esse livro dá um destaque maior às figuras históricas. Nicolau Maquiável, Leonardo Da Vinci, Catarina Sforza e os Bórgia são presenças constantes, enriquecendo a trama e a experiência.

Dos três primeiros livros, Irmandade foi o que menos me divertiu. Ainda assim, o livro tem seus méritos e a presença de personagens históricos acrescenta um certo charme.

Autor: Oliver Bowden
Páginas: 394
Editora: Galera Record
Ano: 2012

20 de jun de 2016

[Dicas para escrever] Os 6 tipos de conflito na ficção

Já abordei a questão do conflito por alto há muito tempo, hoje quero me aprofundar um pouco mais no tema. Toda ficção precisa de algum tipo de conflito, independente de ser uma aventura épica, um romance adolescente ou uma fábula. O conflito cria tensão e mantém o interesse do leitor. Sem esse elemento, Chapeuzinho Vermelho seria a história de uma menina que passa o dia com a avó e depois volta para casa.

Embora seja possível encontrar diversos estudos sobre o assunto, é amplamente aceito que existem 6 tipos básicos de conflitos na literatura e na ficção em geral. É absolutamente comum que uma narrativa traga mais de um tipo de conflito, normalmente um deles é escolhido pelo autor como principal, mas outros também estão presentes em diferentes níveis...

13 de jun de 2016

Trilha sonora de Arcanista

Hoje vou mostrar para vocês uma parte importante do meu processo de escrita. Como muitos autores, eu busco inspiração na música e, no caso de Arcanista, cheguei a criar uma playlist com várias faixas, que decidi compartilhar com vocês.

Notem que não se trata necessariamente de uma trilha sonora de filme, nem sei se é a playlist mais adequada para ouvir durante a leitura de Arcanista, mas são músicas que me ajudavam a pegar o clima certo de cada cena, independente de ser um encaixe perfeito ou não.

A lista é dividida em duas partes. Primeiro, vamos às faixas com letra.

1. Taylor Swift e The Civil Wars - Safe and Sound
Esse é o tema do primeiro Jogos Vorazes, uma obra que - como podem imaginar - exerceu muita influência na Trilogia Vera Cruz. A parte isso, acho que a letra tem tudo a ver com Arcanista. Essa seria a música tema do livro.


2. Lorde - Everybody Wants to Rule The World
Essa versão dá um tom bem mais sombrio a essa música. Esse seria um tema para a série como um todo. Em Vera Cruz, todos querem dominar o mundo.


3. Katy Perry - Unconditionally
Minha inspiração para os interlúdios românticos.

4. Eminem e Martika - Toy Soldiers
Um tema para a Arcanum, a Guarda Nacional e "militarices" em geral.

Partindo para a segunda parte da lista, temos as chamadas trilhas de fundo. Essas músicas não tem letra e foram escolhidas para combinar com cenas especificas.

5. Strauss - Valsa do Imperador
Nem preciso comentar, né?


6. Final Fantasy XIII - Will to Fight
Composição de Masashi Hamauzu, esse seria o tema da Cidade Alta.


7. Rob Dougan - Chateau
Trilha de Matrix Reloaded, esse é um bom tema para combates, em especial o que acontece no capítulo 12 de Arcanista.


8. Juno Reactor - Monalisa Overdrive
Outra trilha de Matrix Reloaded. Dá o tom certo para as sequências com as En-Passant.

6 de jun de 2016

[Resenha] Nuvem da Morte, de Andrew Lane

Sherlock Holmes é um daqueles casos raros de um personagem que transcende a ficção. Tanto que ainda hoje, muitos pensam que ele foi uma pessoa real. Todos os anos seu endereço em Londres, no 221B da rua Baker, recebe um enorme volume de cartas. Como se trata de um personagem de domínio público, muitos livros, séries e filmes foram adicionados à obra original de Arthur Conan Doyle.

É o caso de Nuvem da Morte, obra de Andrew Lane que aborda um lado pouco explorado do detetive mais famoso do mundo: sua juventude.

Sherlock tem 14 anos e descobre que durante as férias de verão do internato, será mandado para ficar com um casal de tios que mal conhece, no interior da Inglaterra. Quando duas mortes ocorrem em circunstâncias misteriosas, sua mente curiosa o empurra na direção da investigação promovida por seu tutor Amyus Crowe, responsável por instigar o jovem a usar seu intelecto privilegiado. Acompanhado do garoto de rua Matt e da filha de Crowe, Virgínia, Sherlock mergulha de cabeça num intrigado mistério que pode colocar em risco todo o país.

Apesar de ser um projeto ambicioso, Nuvem da Morte apresenta uma aventura bem redonda e até um pouco descompromissada. É possível notar no jovem Sherlock um esboço de sua personalidade marcante, mas por se tratar do primeiro volume de uma série, é evidente que Andrew Lane pretende prolongar a transformação do adolescente curioso no detetive excêntrico.

Em comparação com outros young adults, a narrativa tem um ritmo menos dinâmico. A maioria dos parágrafos é longa e isso acaba causando um cansaço maior durante a leitura. As sequências de ação e aventura, por outro lado, compensam com uma boa dose de tensão, prendendo o leitor.

Nuvem da Morte funciona como uma aventura divertida, que não tem a pretensão de emular os livros originais, mas sim de apresentar Sherlock Holmes para os leitores mais jovens.

Autor: Andrew Lane
Série: O Jovem Sherlock Holmes
Páginas: 288
Editora: Intrínseca
Ano: 2011

30 de mai de 2016

Conheça o Profissionais do Livro


Hoje, temos um post de utilidade pública. Se você é autor independente, já deve ter passado por dúvidas e obstáculos na hora de tentar contratar os serviços de capistas, diagramadores, sem falar em registros de ISBN, ficha catalográfica e outros. Além do mais, há ainda o receio de ser lesado.

E é aqui que entra o Profissionais do Livro, um site parceiro do Clube de Autores onde você pode contratar os serviços mencionados acima. Além de exibir anúncios, o site age como intermediário entre autores e os profissionais contratados, de forma muito semelhante aos sites de mercado pago. A diferença é que, ao invés de produtos, são vendidos serviços.

Funciona mais ou menos assim:
- conecte-se no site e faça uma busca pelo serviço que procura;
- clicando em qualquer dos anúncios, você pode ler o perfil do profissional e ver comentários de outros autores que já trabalharam com ele;
- depois de escolher entre os anúncios, clique em contratar e escolha a forma de pagamento;
- assim que o pagamento for registrado (o que leva dois ou três dias), o profissional recebe um alerta e vocês podem combinar os detalhes do trabalho;
- terminado o serviço, o profissional apresenta o trabalho para o autor, que pode aprová-lo ou pedir revisões. Somente depois do serviço ser aprovado é que o site libera o pagamento para o profissional.

Existem outros detalhes, porém o básico é isso. Você pode acessar o Profissionais do Livro clicando aqui ou na imagem acima.

19 de mai de 2016

[Tem na Netflix] Wakfu

Wakfu começou como um MMORPG produzido pelo estúdio francês Ankama Games em parceria com a Square Enix, lançado em 2006. Dois anos depois, a Ankama expandiu seu universo para uma série animada que foi muito bem sucedida na França, mas que não havia viajado para longe do continente europeu, isso até a a Netflix adquirir os direitos de distribuição internacional.

Ambientada num mundo de fantasia, Wakfu narra a saga de Yugo, um menino valente e de coração puro que vive feliz com o pai adotivo. Quando a vila onde mora é atacada pelo perigoso Nox, Yugo descobre ter o poder de criar portais de teletransporte. Ele também encontra pistas sobre sua verdadeira origem e parte numa jornada em busca de respostas. O garoto logo se une a um grupo de aventureiros e, quanto mais se aproximam da verdade, mais fica evidente que Yugo é uma peça-chave para impedir que Nox destrua o mundo.

Wakfu apresenta uma estrutura clássica de histórias de fantasia, onde um grupo de aventureiros com poderes e personalidades diferentes enfrenta perigos mundo afora. Além de Yugo, os outros heróis são: Percy, um jovem guerreiro impetuoso (e um tanto lerdo) com aspirações de se tornar uma lenda; Amália, uma princesa mimada com poderes ligados à natureza; Evangelyne, uma arqueira corajosa e mal-humorada que tem uma quedinha por Percy; e Ruel, um velho aventureiro sovina que está sempre de olho em formas de ter lucro.

Apesar de ter sido lançada em 2008, Wakfu ainda impressiona nos aspectos técnicos, o character design é muito bonito e a animação apresenta uma fluidez impecável. Além de batalhas emocionantes, o humor também é uma presença constante. Outro ponto que vale ressaltar é a excelente dublagem brasileira. Recomendado!

16 de mai de 2016

Don't Panic - evento em Recife


Para comemorar o Dia Internacional do Orgulho Nerd, o nosso parceiro Tracinhas, juntamente com o Blog da Thati, Tia Ágatha Mandou Dizer e o Clube dos Canalhas irão promover o Don't Panic.

O objetivo é apresentar ao público trabalhos de autores nacionais que estão em busca do seu espaço. Na pauta, obras de Amanda Steilen, Kamila Zöldyek, Alec Silva e um tal Joe de Lima.

O Don't Panic será realizado no dia 29 de maio, às 14hrs, no shopping Tacaruna, em Recife. Mais informações, acesse a página oficial do evento clicando aqui ou na imagem.







7 de mai de 2016

#MãesDaFicção AMY POND #FelizDiaDasMães


Para celebrar o Dia das Mães, meu blog foi convidado a participar de uma iniciativa: fazer um post sobre uma mãe da ficção, e qualquer um pode participar, seja em blogs ou postagens nas redes sociais, basta marcar com a hashtag #MãesDaFicçãoAo invés de trazer de volta, uma das cinco mães que listei no meu Top 5, achei que seria mais interessante apresentar outra supermãe.

E olha que a minha indicada tem um currículo invejável. Ela é conhecida como A-Garota-Que-Esperou, ela viu o centro da Terra e visitou os confins do Universo (e até esteve fora dele), passou dois mil anos dentro de uma caixa e ajudou a salvar, não só o nosso planeta, mas todo o continuum espaço/tempo... mais de uma vez. E além de tudo isso, vivenciou a maternidade. Estou falando de Amy Pond (Karen Gillan), uma das companions de Doctor Who.

Ao longo de mais de meio século, o Doutor teve inúmeras companheiras de viagem em sua máquina do tempo, a TARDIS. Inúmeras mesmo, mais de 50 segundo levantamentos. Ainda assim, no meio de tantos rostos, Amy consegue se destacar por vários motivos. Enquanto muitas das companions "brincavam" de flertar, Amy tinha uma relação de cumplicidade bem diferente com o Doutor e os whovians puderam acompanhar boa parte da vida d'A-Garota-Que-Esperou, criando um laço especial com ela.

A primeira vez que a encontramos, ela era apenas uma menina de 7 anos com uma fenda dimensional na parede de seu quarto (nessa aparição inicial, a personagem é vivida por Caitlin Blackwood). Quando o Doutor volta a encontra-la, Amy já é uma jovem adulta, mas ainda conserva um jeito brincalhão e até meio inconsequente. Aos poucos, porém, ela vai amadurecendo. A vemos assumir seu noivado com Rory Williams e, eventualmente, se casar com ele.

Aqui acontece outro ponto de virada, Amy e Rory tem sua noite de núpcias à bordo da TARDIS e ela engravida enquanto atravessavam o túnel do tempo. Obviamente, um bebê concebido em condições tão especiais chamaria a atenção e assim que nasce, a pequena Melody é sequestrada pela afetada Madame Kovarian. Apesar de todos os seus esforços, Amy e o Doutor foram incapazes de reencontra-la, ou assim pensavam. Após idas e vindas, eles descobrem que Melody, já adulta, sempre esteve por perto sob a identidade de River Song, uma aventureira casada com ninguém menos que o próprio Doutor (as maravilhas da viagem no tempo).

Amy permaneceu na TARDIS da quinta à sétima temporada de Doctor Who e durante esse período sua trama pessoal foi a norteadora do enredo da série, ao ponto de alguns se referirem a essa fase como The Pond Era. A personagem rendeu diversas indicações, além de render alguns prêmios à atriz Karen Gillan.

Com certeza, uma personagem que deixou sua marca na série e ainda vai ser lembrada por muito tempo.

Outros blogs que participaram com #MãesDaFicção

Tiozinho Nerd - Beatrix Kiddo 
Fanpage de Balthazaar Pacco - Daenerys Targaryen
Forja de Papel - Sinhá Vitória

2 de mai de 2016

[Resenha] Renascença, de Oliver Bowden

Na minha resenha de A Cruzada Secreta, sugeri começar a saga Assassin's Creed por aquele livro por uma questão de cronologia. O lado ruim dessa escolha é que, em comparação, achei Renascença um livro muito mais redondo e divertido. Como o próprio título indica, a trama é ambientada na renascença italiana e tem como protagonista o herói mais popular da franquia Assassin's Creed, o charmoso Ezio Auditore.

É o auge do renascimento e o auge das guerras entre as cidades-estado italianas. Em Florença, o jovem Ezio leva uma vida de diversão e conquistas amorosas. Quando uma traição organizada pela família Pazzi e pelo poderoso Rodrigo Bórgia destroça os Auditore, Ezio descobre que sua linhagem está ligada a antiga Ordem dos Assassinos. Ela também fica sabendo que tanto os Pazzi quanto os Bórgia são Templários e que o destino dos Auditore era apenas parte de um plano de dominação muito maior.

Para vingar sua família e impedir que um imenso poder caia nas mãos dos Templários, Ezio irá passar pelo treinamento dos Assassinos, dominar suas técnicas, aprender sobre sua mitologia e viajar por Florença, Veneza, Roma e até mesmo o Vaticano, além de encontrar figuras ilustres pelo caminho, tais como Nicolau Maquiável, Catarina Sforza e Leonardo DaVinci, entre outras.

Como eu disse antes, Renascença é uma aventura redonda e bastante compulsiva. O livro se vale bem da ambientação e várias vezes coloca Ezio no meio de fatos históricos, ainda que não tenha a ambição de ser um retrato de época, mantendo o foco em sua própria trama.

Com um bom ritmo, personagens carismáticos, figuras e lugares históricos interessantes, Renascença é uma boa pedida para quem procura uma leitura de aventura com uma pitada de História.

Autor: Oliver Bowden
Série: Assassin's Creed
Páginas: 378
Editora: Galera Record
Ano: 2012

30 de abr de 2016

Blogs promovem Semana de Divulgação dos Escritores Nacionais


A Semana de Divulgação dos Escritores Nacionais é uma iniciativa sensacional do Blog Não Leia! que foi abraçada por inúmeros outros blogs. Serão sete dias (de 01/05 a 07/05) com postagens diárias apresentando uma lista enorme de autores brasileiros e suas obras.

Pessoalmente, não me lembro de ter visto nada parecido. Não nesta escala, pelo menos.

Entre os participantes, o meu destaque vai para o Tiozinho Nerd, parceiro do Desatinos por Escrito. Aqui vai a lista completa. Aproveitem as dicas sem moderação e boas leituras!

Blog Não Leia!
Monte Sua Livraria
Cantinho Cult
Desabafo Aleatório
Mundo Secreto da Lia
Colecionando Romances
Pensamentos Valem Ouro
Viajando Pelas Paginas
Já acabou, Lucas?
Dicas de Livros
Literaleitura
Clã das Sombras
blogescritornarede
Leitora Compulsiva
Noah e Hadassa
Livraria dos Sonhos
Passaporte Literário
Queridos Livros & Tatianices
Livro Lab

25 de abr de 2016

[Resenha] Alameda dos Pesadelos, de Karen Alvares

Já faz algum tempo que eu queria ler algo da Karen Alvares, e Alameda dos Pesadelos foi a primeira obra dela que tive em mãos. Bom, já disse aqui em algumas oportunidades que terror não é exatamente o meu gênero favorito, mas isso nunca me impediu de apreciar uma história de terror bem contada.

Vivian é uma mulher de meia idade que vive com o pai e com o filho, ainda criança, num pequeno apartamento em São Paulo. Mãe solteira, suporta um emprego que não gosta apenas para sustentar a família. Em outras palavras, uma mulher comum levando uma vida comum, isso até o momento em que Gabriel, o pai de seu filho que ela não via há tempos, reaparece em circunstâncias misteriosas. Logo, até o menino começa a ter visões com Gabriel, indicando que algo fora do normal está acontecendo. Esses eventos lançam Vivian em uma jornada sobrenatural e espiritual em que ela irá descobrir verdades sobre si mesma que jamais imaginou.

É difícil falar muito mais sobre a trama sem dar spoilers.

Um ponto de destaque no livro é a proximidade dos personagens com a realidade, sobretudo Vivian e seu pai, pessoas que qualquer um de nós conhece. Outro destaque é a capacidade da autora de criar imagens inquietantes sem apelar em momento algum. Todas as sequências ambientadas na casa, no vale e na Alameda dos Pesadelos em si, dão aquele frio na barriga.

O livro tem um tamanho mediano, a narrativa é acessível e com um ritmo dinâmico, o que ajuda a compelir os leitores adiante, porém, em alguns momentos achei que teria sido melhor desacelerar um pouco. Eu adoraria ter tido mais tempo para apreciar as nuances do duelo de vontades entre Vivian e Gabriel que ocorre dentro da casa antiga. Também tive esse mesmo sentimento na sequência em que Vivian descobre a verdade a respeito da foto e no capítulo que se segue a essa descoberta.

Num saldo final, Alameda dos Pesadelos é uma boa história de terror e uma boa dica para quem procura uma leitura mais densa.

Autora: Karen Alvares
Páginas: 264
Editora: Cata-vento
Ano: 2014
Para adquirir: http://amzn.to/1I6DIU5
No Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/375770ED424428