15 de dez de 2017

Sorteio Blogueiras Unidas


Olá, nucciamigos!

O fim do ano está chegando e o Grupo Blogueiras Unidas (Blogs As 1001 Nuccias, Entre Livros e Pergaminhos, CuraLeitura e Clube do Livro e Amigos) quer comemorar o ano incrível que 2017 foi e torcer para que 2018 seja muito mais junto com vocês!

Daí, convidamos uma galera linda para participar de um sorteio coletivo de responsa!

Venham com a gente!

4 de dez de 2017

Chamada para a antologia Duendes: Contos Sombrios de Reinos Invisíveis


Faz um bom tempinho que não falo de antologias aqui. A verdade é que o cenário de antologias hoje é bem diferente do que era há alguns anos, sendo que hoje, a maioria das coletâneas cobra valores salgados dos autores que querem participar. Eu nunca participei de antologias assim (e também não recomendo a participação), mas fica a critério de cada um.

Felizmente, ainda existem algumas antologias gratuitas por aí e uma dessas é a Duendes: Contos de Sombrios de Reinos Invisíveis, que está com inscrições abertas para contos de fantasia sombria.

Abaixo tem um pouquinho texto de chamada. Para mais detalhes e o regulamento, acessem a página oficial da antologia.

O Reino Invisível sempre esteve perto de nós. Além dos círculos de pedra, no coração das florestas, em dimensões das quais nos separa uma frágil barreira, um povo muito antigo nos espreita com olhos cheios de paixão, curiosidade, sabedoria – mas também, algumas vezes, com inveja e maldade... [continue a leitura]

18 de nov de 2017

[Filme] Liga da Justiça


Continuação direta do controverso Batman vs Superman (que eu achei divertido, apesar de ter falhar inegáveis), Liga da Justiça veio com a missão de manter o nível do filme-solo da Mulher-Maravilha e provar, de uma vez por todas o valor do universo DC nos cinemas.

Bom, posso dizer que saí do cinema satisfeito!

A trama gira em torno das Caixas Maternas, três artefatos que o vilão Lobo da Estepe quer reunir para liberar um poder capaz de moldar o mundo à sua vontade. Ante uma ameaça tão grande, Batman e Mulher-Maravilha começam a reunir uma equipe para proteger a Terra.

O filme começa de forma inconstante. O primeiro arco é um tanto acelerado e com cenas bastante picotadas. Confesso que cheguei a ficar preocupado. Porém, quando os heróis começam a se reunir, tudo vai fluindo com mais naturalidade e o longa encontra um bom ritmo.

É interessante que a produção parece ter aprendido com os erros de BvS e Esquadrão Suicida, e também com os acertos de Mulher-Maravilha. Liga da Justiça dá tempo suficiente para nos aproximarmos dos personagens, assim como dá tempo suficiente para desenvolver a dinâmica dentro da equipe.

Apesar do CG derrapar de vez em quando, as cenas de ação são de tirar o fôlego e o roteiro consegue encontrar um ótimo equilíbrio entre momentos de humor e cenas sérias.

Para encerrar, é uma pena que a participação de J. K. Simmons seja pequena, porque ele está maravilhoso como Comissário Gordon. E que a continuação venha logo!

10 de nov de 2017

Ativista, por Joe de Lima - lançamento


Chegou o grande dia! Foi uma longa jornada até aqui, mas agora a saga chega ao fim. Já está disponível o último volume da Trilogia Vera Cruz, encerrando as aventuras de Marcel e seus companheiros.

Seguem a sinopse e os links para adquirir o seu exemplar. Boas leituras e não deixem de comentar!

"Vera Cruz está em guerra. Em meio ao caos dos conflitos, um novo governo se estabelece, instaurando uma ditadura violenta e implacável. Ainda se recuperando, Marcel tem de se preparar para sua próxima missão.

Ao mesmo tempo, Camilla e Flora fazem planos para libertar o país. Contudo, o atrito entre elas é cada vez maior. Em meio às festas de fim de ano, Marcel e seus companheiros irão atravessar o país, encontrando novos aliados e inimigos, enquanto lutam para salvar seus familiares e para mudar o destino de Vera Cruz.

Na explosiva conclusão da série, Joe de Lima apresenta uma obra cheia de ação, romance, adrenalina, fanatismo político e reviravoltas surpreendentes."

> clique aqui para adquirir Ativista na Amazon

> clique aqui para adquirir pelo Clube de Autores

> adicione Ativista no seu Skoob e no seu GoodReads

2 de nov de 2017

Trilha sonora: Ativista


Com o lançamento de Ativista no dia 10 de novembro, a Trilogia Vera Cruz chega ao final. Como já virou tradição, vou compartilhar com vocês as músicas que ouvi durante a escrita do livro. Além dessas, escutei músicas das listas de Arcanista e Armamentista também.

1. Florence and the Machine - Stand by Me
Parte da trilha sonora de Final Fantasy XV, essa é uma nova versão do clássico de Ben E. King na voz maravilhosa de Florence Welsh. É a música-tema do livro.


2. Pretty Reckless - Make me Wanna Die
Esse é mais pelo vídeo do que pela música. A montagem é do game Remember Me, que não é tão conhecido, mas foi uma grande referência para o livro.


3. Linkin Park - Leave Out All The Rest
É o tema do Marcel para esse terceiro volume. Como fã Linkin Park, fico balançado por ouvir o saudoso Chester Bennington cantando essa música.


4. Lisa Miskovsky - Still Alive
Mais um música de um game, o clássico cult Mirror's Edge. Não tenho uma cena específica, ouvi essa trilha em vários momentos.


5. Hans Zimmer - Arcade
Diretamente do filme Homem de Aço, vem essa trilha que me ajudou a pegar o tom certo do capítulo 5.


6. Final Fantasy XV - Ravus Aeterna
Mais uma trilha de FFXV. Esse é o tema perfeito para o King's Gambit.


7. Luciano Pavarotti - Vesti la Giubba
Nem precisa comentar. Quem ler Ativista, vai saber que cena é essa :)

20 de out de 2017

Capa e sinopse de Ativista


Está chegando a hora da conclusão da saga!

Apresento a vocês a capa (com arte de Rafa Lee) e a sinopse de Ativista, terceiro e último volume da Trilogia Vera Cruz. O lançamento é dia 10 de novembro:

"Vera Cruz está em guerra. Em meio ao caos dos conflitos, um novo governo se estabelece, instaurando uma ditadura violenta e implacável. Ainda se recuperando, Marcel tem de se preparar para sua próxima missão.

Ao mesmo tempo, Camilla e Flora fazem planos para libertar o país. Contudo, o atrito entre elas é cada vez maior. Em meio às festas de fim de ano, Marcel e seus companheiros irão atravessar o país, encontrando novos aliados e inimigos, enquanto lutam para salvar seus familiares e para mudar o destino de Vera Cruz.

Na explosiva conclusão da série, Joe de Lima apresenta uma obra cheia de ação, romance, adrenalina, fanatismo político e reviravoltas surpreendentes."

10 de out de 2017

[Indicação de game] Street Fighter V

Nota: existem muitas resenhas de games por aí, esse texto é sobre minhas impressões pessoais.

A polêmica foi tão grande no lançamento de Street Fighter V que eu não sabia exatamente o que esperar. Agora que estou com ele em mãos, acho que SFV é um dos melhores jogos da franquia. E ao mesmo tempo, também é um dos piores.

Acontece que o game foi lançado com poucos recursos e apenas um único modo de jogo. Naturalmente, muita gente reclamou de ser um produto inacabado. Eu cheguei mais de um ano depois e, como adicionaram conteúdo de lá para cá, essa sensação não incomoda tanto. Mesmo assim, o game ainda está incompleto, tanto que há uma grande atualização agendada para o começo de 2018.

São 16 lutadores na versão básica e estranhei um pouco a lista de personagens. Mesmo que a maioria sejam veteranos, boa parte deles não é do primeiro escalão, como Nash, Karin, Birdie e outros. Guile, Akuma e Balrog só estão disponíveis em DLCs e sinto muita falta de Sagat, Sakura e Blanka (o RH da Shadaloo só pode estar brincando para demitir o Sagat e contratar um personagem tão ridículo como o Fang no lugar). Entre os novatos, Rashid e Laura são os mais legais.

O modo versus é, de longe, o melhor. Os gráficos em 2,5D estão bonitos e a movimentação é fluída. A quantidade de combos e golpes especiais aumenta a variedade e deixa as lutas mais divertidas. Sério, tudo funciona com perfeição durante as lutas.

Fora delas, a situação é bem diferente. A variedade dos modos de jogo é pequena e pouco inspirada. No geral, a apresentação é pobre, com pouco trabalho de vozes e muuuitos loadings. Também há um modo de história gratuito que precisa ser baixado separadamente. Infelizmente, meu console nunca consegue ir além da primeira tela de loading, então "não sou capaz de opinar" sobre isso.

Meu conselho para quem quiser jogar SFV é: vá direto para as lutas. Ali, todos os problemas desaparecem. De resto, prossiga com cautela.

Plataformas: Playstation 4, PC
Gênero: luta
Desenvolvedor: Capcom
Lançamento: 2016

2 de out de 2017

[Dica de leitura] Gunslinger, de Renato Moraes

Meu amigo Renato Moraes é o artista por trás das capas de Arcanista, Armamentista e Dragão de Gaia. Agora ele está lançando seu próprio projeto: a HQ Gunslinger, e o primeiro volume acabou de sair.

A história é ambientada no velho-oeste e, segundo o próprio Renato trata-se de uma homenagem aos filmes clássicos do gênero. Gunslinger está disponível na Amazon e você pode adquirir clicando aqui ou na capa.

Para completar, tem um promoção bem legal rolando. Se você postar um print de Gunslinger no seu dispositivo no Facebook e marcar o Renato, ganha um sketch à sua escolha!

11 de set de 2017

Entrevista para o canal da Lu Evans

A amiga Lu Evans, autora de Zylgor: A Princesa das Águas, tem um série de entrevistas bem legal em seu canal no youtube, batendo um papo com autores nacionais. E eu tive a honra de ser um dos entrevistados.

Vocês podem conferir a minha entrevista aí embaixo, mas não deixem de acompanhar o canal par conferir novos vídeos.

4 de set de 2017

[Resenha] Zylgor: A Princesa das Águas, de Lu Evans

Primeiro volume da série independente de Lu Evans, A Princesa das Águas narra a jornada de Cã, um jovem que desperta num mundo completamente diferente da Terra, cheio de criaturas mágicas e onde quase tudo é azul. Após encontrar-se com um trio de gnomos, é levado à presença da princesa Lilat e por acidente, acaba tendo um cristal mágico incrustado na testa. A partir desse momento, o destino de Cã passa a ser o de aliar-se à Lilat para libertar o mundo de Zylgor do domínio do terrível Daimos.

Antes de mais nada, preciso dizer que não sou a pessoa mais indicada para resenhar esse livro. Prefiro obras com um ritmo dinâmico, tanto na narrativa, quanto nos diálogos e a obra de Lu Evans tem uma proposta bem diferente. Aqui, a jornada evoluí devagar, sem pressa de chegar ao destino final. Que fique claro que não considero isso um demérito para o livro, é mero gosto pessoal.

E já que estamos falando de narrativa, o estilo que Lu Evans emprega aqui remete às obras de Tolkien. A história pode ser lida quase como um conto de fadas, com uma linguagem bonita e cheia de lirismos. A mitologia do mundo de Zylgor é descrita em detalhes, bem como os cenários e o passado dos personagens.

Ainda sobre os personagens, achei um tanto arquetípicos: Cã é corajoso só por ser corajoso e tem uma relação com Lilat do tipo "opostos se atraem" que pouco evolui ao longo do livro (talvez guardando para os próximos volumes). Da mesmo forma, Daimos é essencialmente mau. Concordo que esse tipo de personagem combina com a proposta da obra, mas senti falta de um pouquinho mais de profundidade.

O próprio mundo onde a história se passa também é um personagem, e muito bem elaborado. Para quem busca uma grande aventura, mundos fantásticos e curte leituras com uma pegada clássica, Zylgor: A Princesa das Águas é uma bela pedida.

Autora: Lu Evans
Páginas: 400
Anos: 2014
Editora: Independente

28 de ago de 2017

Top 10 - Game of Thrones: Personagens dos livros que não aparecem na TV

Apresento a vocês um ranking com meus personagens favoritos dos livros da saga Canção de Gelo & Fogo que ainda não apareceram na série de TV. Agora que a polêmica sétima temporada chegou ao fim, e considerando que restam poucos episódios para o show terminar, dificilmente esses figuras devem dar as caras na produção da HBO.

É interessante notar que muitos personagens dessa lista sugerem que a série literária vai tomar rumos bem diferentes da TV nos próximos livros (ainda bem).
Fica o aviso que o texto contém spoilers dos livros. Todas as ilustrações são do site A Wiki of Ice and Fire

18 de ago de 2017

Meu conto em destaque no SobrEscrever


Para quem não conhece, o SobrEscrever é um podcast do Leitor Cabuloso que fala sobre a escrita, técnicas e construção de textos. O quarto episódio trouxe o tema plot twist e teve como destaque o meu conto Eva & Morte, o que me deixou muito feliz :D

Você pode acessar o episódio clicando abaixo ou na imagem acima.


7 de ago de 2017

[Resenha] Alys: Elemento Alpha, de Priscila Gonçalves

Hoje trago a resenha de mais uma autora nacional chegando ao mercado. Livro de estreia de Priscila Gonçalves, Alys: Elemento Alpha é uma aventura young adult ambientada num mundo que mistura magia e tecnologia.

Num futuro alternativo, o surgimento de metais mágicos remodelou a sociedade e também as próprias pessoas. Nesse cenário, Alys é uma adolescente levando uma vida reclusa por conta de seu pai super-protetor. Num dos raros passeios dela ao lado de seu amigo de infância Kyer, um incidente coloca um exército de seres mágicos perigosos no seu encalço e de seus entes queridos, tudo por causa de uma antiga profecia da qual ela é peça-chave.

Meu interesse pelo livro começou quando fiquei sabendo mais detalhes da ambientação. Adoro mistura de gêneros e a autora usa muito bem esse recurso para apresentar um mundo onde dragões usam tablets e motos voadoras podem ser conjuradas magicamente (alguém precisa me ensinar esse truque, é sério).

Além de tudo, esse é um mundo com uma mitologia própria e bastante rica. A narrativa de Priscila Gonçalves é leve e acessível com um bom ritmo. É raro passar um capítulo sem que seja introduzido um novo personagem ou elemento importante. É interessante que, apesar da profecia, Alys foge do que se esperaria de uma heroína predestinada, sendo uma jovem curiosa e um pouco estabanada, sem aptidão para uma vida aventureira. Também vale destacar o melhor amigo dela: Kyer. É quase impossível não sentir empatia por ele. Outro personagem de destaque, Evan, não ganhou minha simpatia e já explico a razão.

Evan faz bullying com a Alys, é possessivo com ela e tem o hábito de espionar suas conversas particulares às escondidas. Porém, outros personagens estão sempre tentando convencer a Alys que esse comportamento é uma prova do quanto ele se preocupa com ela (preciso dizer que não vi nenhuma outra resenha comentando sobre isso, então considerem essa como uma visão bem pessoal minha).

Felizmente, essas questões não chegam a ser um problema e estão longe de atrapalhar a experiência da leitura desse livro.

Com uma boa narrativa, uma protagonista cativante e um mundo original, Alys: Elemento Alpha é uma boa pedida para quem procura uma aventura leve e divertida.

Autora: Priscila Gonçalves
Páginas: 354
Ano: 2017
Editora: Pendragon

13 de jul de 2017

[Resenha] Star Wars: Ahsoka, de E.K. Johnston

Se existe uma prova da força do universo expandido de Star Wars, é Ahsoka Tano, personagem que se tornou extremamente popular entre os fãs da franquia mesmo sem nunca ter aparecido em nenhum dos filmes. Nosso primeiro contato com ela foi como a jovem aprendiza de Anakin Skywalker na excelente série animada Clone Wars (que eu falei aqui). Mais tarde, vamos reencontra-la em Rebels, já adulta e uma das guerreiras mais poderosas da galáxia.

Escrito pela autora E.K. Johnston, o livro Star Wars: Ahsoka se passa após o filme A Vingança dos Sith. Mais precisamente, a história começa quando a ascensão do império completa um ano.

Tendo sobrevivido ao extermínio dos jedi, Ahsoka agora vive atormentada pelos sentimentos de derrota e solidão. Caçada pelas forças imperiais, busca refúgio num mundo rural afastado. Logo se estabelece como mecânica e se afeiçoa às irmãs Kaeden (que se apaixona por Ahsoka) e Miara, e também ao círculo de amigos das duas. Porém, a rotina pacata de Raada é perturbada pela chegada repentina do império, numa missão comandada pelo Sexto Irmão Inquisidor. Se quiser proteger seu novo lar da opressão imperial, ela precisará reencontrar seu espirito de luta.

Com uma narrativa young adult, Star Wars: Ahsoka se diferencia de outras obras da franquia. Temos uma cota de lutas e naves espaciais, porém o tom é menos épico e mais intimista. A autora faz um ótimo trabalho mergulhando na mente de Ahsoka e explorando seus sentimentos e o estresse pós-traumático, além de amadurecer a personagem sem perder sua essência.

Senti falta de mais descrições físicas dos cenários e personagens, afinal de contas, o universo Star Wars sempre teve um imenso apelo visual. Também achei que há uma ligeira pressa na resolução de certos confrontos. Por outro lado, o ritmo narrativo é muito bom e a autora acerta ao manter a trama focada, entregando uma leitura divertida e descompromissada.

Um livro recomendado para quem curte ficção cientifica e Star Wars, e é claro, para os fãs de Ahsoka Tano. É importante lembrar que esse livro ainda é inédito no Brasil, mas deve chegar em breve.

1 de jul de 2017

[Sorteio] Aniversário de 1 ano do blog Leitura Descontrolada

Olá queridos leitores!

         É com grande prazer que vamos comemorar juntinho a vocês o mês de aniversário do blog Leitura Descontrolada. No dia 14 de Julho faz exatamente um ano que a Michele resolveu transformar um dos seus sonhos em realidade e a partir de então compartilhar opiniões acerca do mundo literário através dos livros que lê!

        E claro que no mês de aniversário, quem ganha são vocês leitores que ajudaram esse cantinho crescer a cada dia, dando forças através de seus comentários e participações! Para tal, nos reunimos com diversos blogs amigos, autores parceiros e também editoras que se disponibilizaram a fazer parte desse grande momento. Serão sorteados 06 kits incríveis, então não fiquem de fora dessa!! Vamos às regras e logo em seguida aos formulários para participação.

REGRAS:

- Residir ou ter endereço de entrega em território nacional;
- Será apenas um vencedor para cada kit;
- O sorteio terá início hoje 01-07-2017 e término em 31-07-2017;
- O sorteio será realizado através de formulário Raffeclopter;
- A opção para "VISIT US" no facebook você deve CURTIR a página;
- Cumprir todas as regras obrigatórias, pois serão verificadas;
- Após o cumprimento das regras obrigatórias, o formulário dará as opções de regras opcionais.
- Para receber os livros digitais que serão sorteados, será necessário que o participante possua uma conta kindle;
- Para poder participar da oficina de escrita que será sorteada, será necessário que o participante tenha WhatsApp;
- O resultado será divulgado no blog e nas redes sociais em até 05 dias após o término do sorteio.
- O ganhador que preencher todos os requisitos do sorteio deve responder obrigatoriamente dentro do prazo estipulado de 05 dias após a divulgação do vencedor o e-mail solicitando os dados para envio do prêmio;
- O prazo de envio do prêmio será de 45 dias após a divulgação dos vencedores.
- O código de rastreio será informado após o envio;
O envio dos prêmios é de total responsabilidade dos participantes do sorteio;
- Não me responsabilizo por extravios ou danos causados pelos Correios. E reenvios serão por conta do ganhador.
- Este sorteio é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita.






QUE A SORTE ESTEJA SEMPRE A SEU FAVOR!!

17 de jun de 2017

Top 5 - O melhor da E3 2017


A edição desse ano da E3 foi curiosa. Se por um lado tivemos muitos bons jogos, por outro lado, faltou "aquela" revelação que derruba fóruns e monopoliza conversas. O que fica é o fato de que tem muita coisa boa vindo por aí.

Quem me acompanha nas redes sociais, especialmente no Twitter, deve ter me visto comentar bastante durante as conferências. Esse ano, decidi fazer algo diferente e pela primeira vez, vou listar os 5 games que mais me empolgaram.

5 - Anthem


Nova franquia da Bioware, Anthem teve dois trailers na E3, sendo que um deles foi um gameplay mostrando um mundo belíssimo, que combina máquinas gigantes, feras soltas na natureza, vilas retrô e armaduras modernosas. Uma boa chance para a Bioware se recuperar do tropeço de Mass Effect: Andromeda.

4 - Far Cry 5


Pelo que foi apresentado, Far Cry promete trazer sua mecânica tradicional, com algumas melhorias. O que realmente me chama a atenção nesse jogo é a proposta de mostrar uma "seita" ultraconservadora no coração dos Estados Unidos. Nada mais atual.

3 - God of War


Nunca fui um grande fã da franquia God of War, mas fiquei muito curioso desde o anúncio deste game, e o que foi mostrado na E3 apenas aumentou minha curiosidade. A mecânica de jogo clássica da série foi colocada de lado em prol de um tipo novo de gameplay e uma história mais intimista, mostrando o relacionamento de Kratos com seu filho.

2 - Assassin's Creed Origins


Eis aqui uma das minhas franquias favoritas. Origins vem com a proposta ousada de reinventar Assassin's Creed. Embora a furtividade e a reconstrução de períodos históricos continuem sendo o ponto alto, há muito mais elementos de RPG e as mecânicas de combate foram totalmente repensadas. Ainda cabe o registros de termos um Egito antigo sem whitewashing.

1 - Spider-Man


Desde o início, ficou claro que a proposta desse game era fazer pelo Amigão da Vizinhança, o mesmo que a série Arkham fez por Batman. E a julgar pelo gameplay espetacular mostrado na E3, a tarefa deve ser cumprida com louvor. Tudo indica que o Homem-Aranha vai finalmente ganhar um jogo à sua altura. O difícil é segurar o hype!

10 de jun de 2017

Promoção Apaixonados por Leitura


O dia dos namorados está chegando, um bom momento para mostrar o nosso amor pelos livros! Trago até vocês Apaixonados por Leitura, a maior promoção já feita aqui no blog.

Durante os dias 12, 13 e 14 de junho, meus livros digitais vão estar disponíveis gratuitamente na Amazon! Aproveitem sem moderação e compartilhem com os amigos!



5 de jun de 2017

[Resenha] Leviatã Desperta, de James S. A. Corey

Leviatã Desperta é o primeiro volume da série de ficção cientifica The Expanse, escrita por dois autores: Daniel Abraham e Ty Franck sob o pseudônimo James S. A. Corey. Li esse livro em inglês, antes de ser lançado no Brasil, por isso vou manter os termos de acordo com a versão original.

A trama de Leviatã Desperta se passa alguns séculos no futuro e, embora ainda não existam viagens interestelares, todo o Sistema Solar foi colonizado. Nesse cenário, existem duas forças dominantes em constante tensão: a Terra e as colônias marcianas. Além destes, uma terceira facção vem ganhando força: a OPA (Outer Planets Aliance), organização que comanda o Cinturão de Asteroides, onde vivem os Belters, cuja sociedade foi erguida em estações espaciais e em cidades construídas no interior dos asteroides maiores.

O livro acompanha duas tramas paralelas: no asteroide Ceres, o detetive John Miller aceita a tarefa de encontrar uma jovem desaparecida chamada Julie Mao, a filha rebelde de um dos homens mais ricos do Sistema Solar. Ao mesmo tempo, no espaço, uma nave cargueira é alvo de um ataque e apenas cinco membros da tripulação conseguem escapar: o imediato James Holden, a especialista em comunicações Naomi, o mecânico Amos, o piloto Alex, e Shed, um médico.

Enquanto busca respostas para o que aconteceu com sua nave, Holden torna-se acidentalmente o pivô de um evento que deflagra uma guerra entre Terra e Marte. O confronto, no entanto, pode não passar de um subterfúgio para esconder um segredo capaz de abalar o Sistema Solar.

Olhando assim, o cenário de Leviatã Desperta parece demasiadamente complexo, mas as intrigas políticas ficam em segundo plano na maior parte do tempo, favorecendo cenas de ação e tensão que vão de tiroteios a confrontos de naves espaciais, em cenas que evocam, hora Star Wars, hora Star Trek.

Esse livro é um dos melhores exemplos de narrativa cinematográfica que já vi. O ritmo é rápido e as reviravoltas são constantes. Os capítulos acompanham alternadamente os pontos de vista de Holden e Miller, personagens que não poderiam ser mais diferentes. Holden é um cowboy do espaço: jovem, idealista, temerário e metido a conquistador. Já Miller é um detetive noir: veterano, amargo e de espírito quebrado. As sequências em que os dois estão juntos são as melhores do livro.

Um defeito é o fato dos personagens serem um tanto arquetípicos. Ainda assim, a construção de mundo e a trama interessante ofuscam esse ponto negativo.

Leviatã Desperta é um livro muito divertido que eu recomendo, especialmente para os fãs de ficção cientifica. Cabe ressaltar que a série The Expanse ganhou uma adaptação para a TV disponível na Netflix. O trailer está aí embaixo.

Autor: James S. A. Corey
Lançamento: 2017
Páginas: 448
Editora: Aleph

29 de mai de 2017

Tag literária: Eu nunca...


Não costumo postar brincadeiras de tags por aqui, mas gostei dessa que vi no blog Minhas Escrituras, da colega Diana Canaverde. Quem quiser brincar também, não deixe de me marcar.

1. “Eu nunca li isso”Um livro que você não leu, mas que aparentemente todo mundo já.


Boa parte dos meus amigos já leu e sempre vejo críticas positivas sobre ele. Acho até que eu gostaria se lesse, mas de uns tempos para cá não tenho curtido livros de fantasia medieval mais tradicionais.

2. “Eu nunca li algo tão maravilhoso” – O seu livro favorito.


Aí está um ótimo exemplo de um livro de fantasia que rompe paradigmas. Não se destaca por batalhas épicas, cenários além da imaginação ou elementos fora do comum. O grande destaque aqui são os personagens, em especial o nosso herói bastardo: FitzCavalaria Visionário.

3. “Eu nunca imaginei que conseguiria terminar isso” – Um livro ou uma série que você não curtiu, mas foi até o fim.



Sempre ouvi falar muito bem, só que quando fui ler me decepcionei. Não que seja de todo mau, mas acabei lendo até o fim só por curiosidade mesmo.

4. “Eu nunca vou terminar isso” – Um livro ou uma série que você abandonou.


Adoro essa série! A escrita é ótima, a narrativa tem um ritmo envolvente e o mundo criado pelos autores é sensacional. Terminei os três primeiros volumes satisfeito. Então fiquei sabendo que a série ia ser prolongada até o volume 9. É demais pra mim, já basta os livros do Martin.

5. “Eu nunca vou me arrepender de ter lido isso” – Um livro que você leu por recomendação de alguém e acabou gostando.



Peguei essa recomendação com a Domenica Mendes do Leitor Cabuloso, e foi uma bela dica! Excelente triller policial, mas também é um livro muito denso e pesado, por conta dos problemas psicológicos da protagonista.

6. “Eu nunca quero ter que admitir que li isso” – Um livro que você tem vergonha de ter lido ou de ler em locais públicos.



Um ótimo livro de um dos meus autores favoritos. Está aqui porque o Follett pesou a mão mais do que o necessário nas cenas de sexo. Não tenho problema com cenas de sexo, mas aqui elas chegam a ser pornográficas em alguns momentos.

7. “Eu nunca li algo tão fofo” – Um livro que tocou seu coração.



Adorei demais essa leitura. É um romance pé no chão e bem gostoso, temperado com quadrinhos dos X-Men e Watchmen.

8. “Eu nunca ri tanto” – Um livro que te fez rir alto.



Dos livros do Jô Soares, esse é de longe o meu favorito. Com um vilão impagável e um herói super cara-de-pau.

9. “Eu nunca teria sobrevivido minha infância sem ter lido esse livro” – Um livro favorito da sua infância.



Esse tópico dispensa comentários. A turminha é sempre a turminha. Para vocês terem uma ideia, antes de ir para a escola eu já tinha aprendido a ler com as revistas da Turma da Mônica.
Os quadrinhos Disney ocupam o segundo lugar no meu coração. Um detalhe é que o universo retratado nessas HQs é bem diferente do que se vê nos desenhos animados. Adoro!

25 de mai de 2017

Parcerias

Estou aceitando parceria com blogs que desejem fazer a resenha de algum dos meus livros. Os interessados, entrem em contato através do meu perfil no Facebook ou pelo e-mail: joedelima.blog@gmail.com

15 de mai de 2017

Top 5 - Melhores filmes baseados em games

Filmes baseados em games existem aos montes. Muito mais do que a gente imagina num primeiro momento. O que não é novidade para ninguém é que a maioria dessas adaptações são de qualidade pra lá de duvidosa, indo desde grandes fiascos até produções de oitava categoria.

Fazer uma lista de adaptações ruins é uma tarefa das mais fáceis. O difícil é encontrar diamantes no meio desse mar de bijuterias. Tanto que mesmo os filmes desse Top 5 estão longe de serem unanimidades.

Lembrando que o principal critério desse ranking é unicamente o meu gosto pessoal, mas fique a vontade para deixar a sua opinião :D

5 - Mortal Kombat (1995)


Dirigido pelo famigerado Paul W. S. Anderson - numa fase pré-Milla Jovovich - Mortal Kombat pode até parecer lento para os padrões atuais, mas na época suas sequências de luta conseguiram chamar a atenção, assim como as locações, além da música-tema mais épica de todos os tempos! Apesar do roteiro simples e da ausência da violência característica de MK, o filme conseguiu agradar parte dos fãs, levando a melhor na comparação com o imperdoável Street Fighter: A Batalha Final, lançado um ano antes.

4 - Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo (2010)



Adaptação de uma das séries mais cult dos games, Príncipe da Pérsia tinha tudo para dar certo: um elenco de renome, boa direção e ótima produção. Ainda assim, o filme não emplacou na bilheteria e qualquer chance de uma continuação foi engavetada. Uma pena, pois se trata de uma aventura bem redonda, que vale uma sessão com toda a família.


3 - Kingsgslaive: Final Fantasy XV (2016)


Desenvolvido em segredo até as vésperas de seu lançamento, Kingsglaive tem um elenco de dublagem de peso e consegue, não só contar uma história ligada ao universo de Final Fantasy XV, mas também entrega um filme fechado, com começo, meio e fim. Dessa forma, é possível curtir o longa mesmo sem saber nada dos jogos. Kingsglaive perdeu alguns pontos com os fãs por ter uma trama simplificada em comparação com os games. Apesar disso, não deixa de ser um bom filme de ação, com sequências de tirar o fôlego.

2 - Assassin's Creed (2016)


Adaptação de uma das franquias mais populares da atualidade, Assassin's Creed recebeu reações mistas, tanto do grande público quanto dos gamers. O filme lida muito bem com as limitações de orçamento e, apesar de não ser perfeito, é bem divertido. Umas das poucas adaptações que conseguiu receber boas críticas dos jogadores e também de quem não conhece os games.

1 - Need for Speed (2014)


Curiosamente, o primeiro colocado dessa lista é o filme que menos se parece com um game. Need for Speed apresenta um ótimo equilíbrio entre cenas de ação (muito bem dirigidas) e humor. Apesar de não ter sido um sucesso estrondoso, a produção conseguiu boas bilheterias e pode ganhar uma continuação ou um reboot. A maior dificuldade para essa série nos cinemas é a concorrência quase desleal com a gigantesca franquia Velozes & Furiosos.

5 de mai de 2017

Serviços


Estou oferecendo dois tipos de serviços: leitura beta e diagramação. São serviços com prazos diferentes e preços diferentes. Abaixo vem uma descrição mais detalhada deles.

Para solicitar um orçamento ou tirar alguma dúvida, entre em contato pelo meu e-mail (joedelima.blog@gmail.com), pelo Facebook ou pelo Twitter.

LEITURA BETA

O trabalho de um leitor beta é fazer uma análise prévia do livro. Isso vai muito além de um simples "gostei" ou "não gostei". O que o beta faz é observar aspectos técnicos: narrativa e desenvolvimento do enredo, desenvolvimento de personagens, coesão, criação de mundo, construção de frases... em resumo, ajudar a obra a ter mais consistência.

Outro ponto que é preciso destacar é que se trata de uma análise de construção do texto e não uma revisão ortográfica.
  • o orçamento é baseado em laudas de 2.100 caracteres (com espaços)
  • o prazo para fazer a betagem depende do tamanho do livro:
          - até 15 dias para textos com 50 mil palavras ou menos
          - até 30 dias para textos com mais de 50 mil palavras
  • além de obras completas, também faço betagem de trechos menores, a partir de 10 páginas.

DIAGRAMAÇÃO DE EBOOKS

Diagramar é ajustar o layout das páginas do livro: margens, espaçamento, índice, imagens e tudo mais. Finalizando o serviço, entrego o arquivo em diferentes formatos e pronto para ser publicado na Amazon e outras plataformas online.
  • o orçamento é baseado em laudas de 2.100 caracteres (com espaço)
  • o prazo de entrega é de até 7 dias

24 de abr de 2017

[Tem na Netflix] O povo contra O.J. Simpson

Certas histórias reais parecem saídas diretamente da ficção. É o caso da queda de O.J. Simpson, considerado um dos melhores jogadores de futebol americano da sua geração e co-estrela da impagável série de filmes Corra Que a Polícia Vem Aí. Mas o que mais marcou sua trajetória foi a acusação ter cometido duplo homicídio, assassinando sua ex-esposa e o namorado dela.

Na metade dos anos 1990, a prisão e o julgamento de O.J. ganharam uma proporção nunca antes vista, monopolizando noticiários e rodas de conversa nos Estados Unidos e sendo notícia até mesmo no Brasil. Em 2016, essa história foi o tema da primeira temporada da série American Crime Story (não confundir com American Crime, que é um show diferente).

A série se destaca pela excelente produção e direção e consegue mostrar os inúmeros pontos de vista do caso sem tomar partido. As atuações são outro forte e o elenco conta com vários nomes de peso, incluindo Cuba Godding Jr. (que está maravilhoso como O.J. Simpson), Sara Paulsen, John Travolta, David Schwimmer e outros, além de participações especiais ilustres, como Penélope Cruz e Jordana Brewster.

Além de ser um interessante retrato de um caso tão conhecido, O povo contra O.J. Simpson também é um ótimo drama de tribunal.