17 de jun de 2017

Top 5 - O melhor da E3 2017


A edição desse ano da E3 foi curiosa. Se por um lado tivemos muitos bons jogos, por outro lado, faltou "aquela" revelação que derruba fóruns e monopoliza conversas. O que fica é o fato de que tem muita coisa boa vindo por aí.

Quem me acompanha nas redes sociais, especialmente no Twitter, deve ter me visto comentar bastante durante as conferências. Esse ano, decidi fazer algo diferente e pela primeira vez, vou listar os 5 games que mais me empolgaram.

5 - Anthem


Nova franquia da Bioware, Anthem teve dois trailers na E3, sendo que um deles foi um gameplay mostrando um mundo belíssimo, que combina máquinas gigantes, feras soltas na natureza, vilas retrô e armaduras modernosas. Uma boa chance para a Bioware se recuperar do tropeço de Mass Effect: Andromeda.

4 - Far Cry 5


Pelo que foi apresentado, Far Cry promete trazer sua mecânica tradicional, com algumas melhorias. O que realmente me chama a atenção nesse jogo é a proposta de mostrar uma "seita" ultraconservadora no coração dos Estados Unidos. Nada mais atual.

3 - God of War


Nunca fui um grande fã da franquia God of War, mas fiquei muito curioso desde o anúncio deste game, e o que foi mostrado na E3 apenas aumentou minha curiosidade. A mecânica de jogo clássica da série foi colocada de lado em prol de um tipo novo de gameplay e uma história mais intimista, mostrando o relacionamento de Kratos com seu filho.

2 - Assassin's Creed Origins


Eis aqui uma das minhas franquias favoritas. Origins vem com a proposta ousada de reinventar Assassin's Creed. Embora a furtividade e a reconstrução de períodos históricos continuem sendo o ponto alto, há muito mais elementos de RPG e as mecânicas de combate foram totalmente repensadas. Ainda cabe o registros de termos um Egito antigo sem whitewashing.

1 - Spider-Man


Desde o início, ficou claro que a proposta desse game era fazer pelo Amigão da Vizinhança, o mesmo que a série Arkham fez por Batman. E a julgar pelo gameplay espetacular mostrado na E3, a tarefa deve ser cumprida com louvor. Tudo indica que o Homem-Aranha vai finalmente ganhar um jogo à sua altura. O difícil é segurar o hype!

10 de jun de 2017

Promoção Apaixonados por Leitura


O dia dos namorados está chegando, um bom momento para mostrar o nosso amor pelos livros! Trago até vocês Apaixonados por Leitura, a maior promoção já feita aqui no blog.

Durante os dias 12, 13 e 14 de junho, meus livros digitais vão estar disponíveis gratuitamente na Amazon! Aproveitem sem moderação e compartilhem com os amigos!



5 de jun de 2017

[Resenha] Leviatã Desperta, de James S. A. Corey

Leviatã Desperta é o primeiro volume da série de ficção cientifica The Expanse, escrita por dois autores: Daniel Abraham e Ty Franck sob o pseudônimo James S. A. Corey. Li esse livro em inglês, antes de ser lançado no Brasil, por isso vou manter os termos de acordo com a versão original.

A trama de Leviatã Desperta se passa alguns séculos no futuro e, embora ainda não existam viagens interestelares, todo o Sistema Solar foi colonizado. Nesse cenário, existem duas forças dominantes em constante tensão: a Terra e as colônias marcianas. Além destes, uma terceira facção vem ganhando força: a OPA (Outer Planets Aliance), organização que comanda o Cinturão de Asteroides, onde vivem os Belters, cuja sociedade foi erguida em estações espaciais e em cidades construídas no interior dos asteroides maiores.

O livro acompanha duas tramas paralelas: no asteroide Ceres, o detetive John Miller aceita a tarefa de encontrar uma jovem desaparecida chamada Julie Mao, a filha rebelde de um dos homens mais ricos do Sistema Solar. Ao mesmo tempo, no espaço, uma nave cargueira é alvo de um ataque e apenas cinco membros da tripulação conseguem escapar: o imediato James Holden, a especialista em comunicações Naomi, o mecânico Amos, o piloto Alex, e Shed, um médico.

Enquanto busca respostas para o que aconteceu com sua nave, Holden torna-se acidentalmente o pivô de um evento que deflagra uma guerra entre Terra e Marte. O confronto, no entanto, pode não passar de um subterfúgio para esconder um segredo capaz de abalar o Sistema Solar.

Olhando assim, o cenário de Leviatã Desperta parece demasiadamente complexo, mas as intrigas políticas ficam em segundo plano na maior parte do tempo, favorecendo cenas de ação e tensão que vão de tiroteios a confrontos de naves espaciais, em cenas que evocam, hora Star Wars, hora Star Trek.

Esse livro é um dos melhores exemplos de narrativa cinematográfica que já vi. O ritmo é rápido e as reviravoltas são constantes. Os capítulos acompanham alternadamente os pontos de vista de Holden e Miller, personagens que não poderiam ser mais diferentes. Holden é um cowboy do espaço: jovem, idealista, temerário e metido a conquistador. Já Miller é um detetive noir: veterano, amargo e de espírito quebrado. As sequências em que os dois estão juntos são as melhores do livro.

Um defeito é o fato dos personagens serem um tanto arquetípicos. Ainda assim, a construção de mundo e a trama interessante ofuscam esse ponto negativo.

Leviatã Desperta é um livro muito divertido que eu recomendo, especialmente para os fãs de ficção cientifica. Cabe ressaltar que a série The Expanse ganhou uma adaptação para a TV disponível na Netflix. O trailer está aí embaixo.

Autor: James S. A. Corey
Lançamento: 2017
Páginas: 448
Editora: Aleph

29 de mai de 2017

Tag literária: Eu nunca...


Não costumo postar brincadeiras de tags por aqui, mas gostei dessa que vi no blog Minhas Escrituras, da colega Diana Canaverde. Quem quiser brincar também, não deixe de me marcar.

1. “Eu nunca li isso”Um livro que você não leu, mas que aparentemente todo mundo já.


Boa parte dos meus amigos já leu e sempre vejo críticas positivas sobre ele. Acho até que eu gostaria se lesse, mas de uns tempos para cá não tenho curtido livros de fantasia medieval mais tradicionais.

2. “Eu nunca li algo tão maravilhoso” – O seu livro favorito.


Aí está um ótimo exemplo de um livro de fantasia que rompe paradigmas. Não se destaca por batalhas épicas, cenários além da imaginação ou elementos fora do comum. O grande destaque aqui são os personagens, em especial o nosso herói bastardo: FitzCavalaria Visionário.

3. “Eu nunca imaginei que conseguiria terminar isso” – Um livro ou uma série que você não curtiu, mas foi até o fim.



Sempre ouvi falar muito bem, só que quando fui ler me decepcionei. Não que seja de todo mau, mas acabei lendo até o fim só por curiosidade mesmo.

4. “Eu nunca vou terminar isso” – Um livro ou uma série que você abandonou.


Adoro essa série! A escrita é ótima, a narrativa tem um ritmo envolvente e o mundo criado pelos autores é sensacional. Terminei os três primeiros volumes satisfeito. Então fiquei sabendo que a série ia ser prolongada até o volume 9. É demais pra mim, já basta os livros do Martin.

5. “Eu nunca vou me arrepender de ter lido isso” – Um livro que você leu por recomendação de alguém e acabou gostando.



Peguei essa recomendação com a Domenica Mendes do Leitor Cabuloso, e foi uma bela dica! Excelente triller policial, mas também é um livro muito denso e pesado, por conta dos problemas psicológicos da protagonista.

6. “Eu nunca quero ter que admitir que li isso” – Um livro que você tem vergonha de ter lido ou de ler em locais públicos.



Um ótimo livro de um dos meus autores favoritos. Está aqui porque o Follett pesou a mão mais do que o necessário nas cenas de sexo. Não tenho problema com cenas de sexo, mas aqui elas chegam a ser pornográficas em alguns momentos.

7. “Eu nunca li algo tão fofo” – Um livro que tocou seu coração.



Adorei demais essa leitura. É um romance pé no chão e bem gostoso, temperado com quadrinhos dos X-Men e Watchmen.

8. “Eu nunca ri tanto” – Um livro que te fez rir alto.



Dos livros do Jô Soares, esse é de longe o meu favorito. Com um vilão impagável e um herói super cara-de-pau.

9. “Eu nunca teria sobrevivido minha infância sem ter lido esse livro” – Um livro favorito da sua infância.



Esse tópico dispensa comentários. A turminha é sempre a turminha. Para vocês terem uma ideia, antes de ir para a escola eu já tinha aprendido a ler com as revistas da Turma da Mônica.
Os quadrinhos Disney ocupam o segundo lugar no meu coração. Um detalhe é que o universo retratado nessas HQs é bem diferente do que se vê nos desenhos animados. Adoro!

15 de mai de 2017

Top 5 - Melhores filmes baseados em games

Filmes baseados em games existem aos montes. Muito mais do que a gente imagina num primeiro momento. O que não é novidade para ninguém é que a maioria dessas adaptações são de qualidade pra lá de duvidosa, indo desde grandes fiascos até produções de oitava categoria.

Fazer uma lista de adaptações ruins é uma tarefa das mais fáceis. O difícil é encontrar diamantes no meio desse mar de bijuterias. Tanto que mesmo os filmes desse Top 5 estão longe de serem unanimidades.

Lembrando que o principal critério desse ranking é unicamente o meu gosto pessoal, mas fique a vontade para deixar a sua opinião :D

5 - Mortal Kombat (1995)


Dirigido pelo famigerado Paul W. S. Anderson - numa fase pré-Milla Jovovich - Mortal Kombat pode até parecer lento para os padrões atuais, mas na época suas sequências de luta conseguiram chamar a atenção, assim como as locações, além da música-tema mais épica de todos os tempos! Apesar do roteiro simples e da ausência da violência característica de MK, o filme conseguiu agradar parte dos fãs, levando a melhor na comparação com o imperdoável Street Fighter: A Batalha Final, lançado um ano antes.

4 - Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo (2010)



Adaptação de uma das séries mais cult dos games, Príncipe da Pérsia tinha tudo para dar certo: um elenco de renome, boa direção e ótima produção. Ainda assim, o filme não emplacou na bilheteria e qualquer chance de uma continuação foi engavetada. Uma pena, pois se trata de uma aventura bem redonda, que vale uma sessão com toda a família.


3 - Kingsgslaive: Final Fantasy XV (2016)


Desenvolvido em segredo até as vésperas de seu lançamento, Kingsglaive tem um elenco de dublagem de peso e consegue, não só contar uma história ligada ao universo de Final Fantasy XV, mas também entrega um filme fechado, com começo, meio e fim. Dessa forma, é possível curtir o longa mesmo sem saber nada dos jogos. Kingsglaive perdeu alguns pontos com os fãs por ter uma trama simplificada em comparação com os games. Apesar disso, não deixa de ser um bom filme de ação, com sequências de tirar o fôlego.

2 - Assassin's Creed (2016)


Adaptação de uma das franquias mais populares da atualidade, Assassin's Creed recebeu reações mistas, tanto do grande público quanto dos gamers. O filme lida muito bem com as limitações de orçamento e, apesar de não ser perfeito, é bem divertido. Umas das poucas adaptações que conseguiu receber boas críticas dos jogadores e também de quem não conhece os games.

1 - Need for Speed (2014)


Curiosamente, o primeiro colocado dessa lista é o filme que menos se parece com um game. Need for Speed apresenta um ótimo equilíbrio entre cenas de ação (muito bem dirigidas) e humor. Apesar de não ter sido um sucesso estrondoso, a produção conseguiu boas bilheterias e pode ganhar uma continuação ou um reboot. A maior dificuldade para essa série nos cinemas é a concorrência quase desleal com a gigantesca franquia Velozes & Furiosos.

5 de mai de 2017

Serviços


Estou oferecendo dois tipos de serviços: leitura beta e diagramação. São serviços com prazos diferentes e preços diferentes. Abaixo vem uma descrição mais detalhada deles.

Para solicitar um orçamento ou tirar alguma dúvida, entre em contato pelo meu e-mail (joedelima.blog@gmail.com), pelo Facebook ou pelo Twitter.

LEITURA BETA

O trabalho de um leitor beta é fazer uma análise prévia do livro. Isso vai muito além de um simples "gostei" ou "não gostei". O que o beta faz é observar aspectos técnicos: narrativa e desenvolvimento do enredo, desenvolvimento de personagens, coesão, criação de mundo, construção de frases... em resumo, ajudar a obra a ter mais consistência.

Outro ponto que é preciso destacar é que se trata de uma análise de construção do texto e não uma revisão ortográfica.
  • o orçamento é baseado em laudas de 2.100 caracteres (com espaços)
  • o prazo para fazer a betagem depende do tamanho do livro:
          - até 15 dias para textos com 50 mil palavras ou menos
          - até 30 dias para textos com mais de 50 mil palavras
  • além de obras completas, também faço betagem de trechos menores, a partir de 10 páginas.

DIAGRAMAÇÃO DE EBOOKS

Diagramar é ajustar o layout das páginas do livro: margens, espaçamento, índice, imagens e tudo mais. Finalizando o serviço, entrego o arquivo em diferentes formatos e pronto para ser publicado na Amazon e outras plataformas online.
  • o orçamento é baseado em laudas de 2.100 caracteres (com espaço)
  • o prazo de entrega é de até 7 dias

Parcerias

Estou aceitando parceria com blogs que desejem fazer a resenha de algum dos meus livros. Os interessados, entrem em contato através do meu perfil no Facebook ou pelo e-mail: joedelima.blog@gmail.com